Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘#w2e’

tara-hunt

Uma das palestras que mais gostei no evento Web 2.0 Expo em San Francisco foi a de Tara Hunt (@missrogue) sobre Whuffie. Até agora não vi uma boa tradução para o português desse termo, que quer dizer “capital social” ou reputação.

A palestra de Tara Hunt foi muito bem apresentada, num estilo que gosto muito. Um número enorme de slides, com muitas fotos, textos muito curtos e uma sinergia e conexão perfeita entre os slides e a fala da palestrante.

Esse é o estilo que tento fazer cada vez mais. Tornar minha fala e os slides cada mais sincronizados, e com uma transição muito suave, quase imperceptível de um slide para outro.

Abaixo listo os pontos que mais gostei da palestra.

  • O tema da #w2e era “o poder da escassez”, e isso é o que ela sempre fez (fazer mais com menos). Eu também estou nesse time. :-)

publicidade-tradicional

  • A publicidade se torna cada vez mais um megafone, que incomoda e interrompe as pessoas. Com isso, há cada vez mais pessoas “surdas” a anúncios. A solução não é comprar um megafone maior e mais potente, mas se envolver em conversas.
  • Porque algumas empresas são abominadas, e outras recebidas pelas pessoas de braços abertos?
  • Whuffie = reputação, capital social, contatos, acesso, credibilidade. Você e sua empresa têm isso?
  • Whuffie não acontece do dia para a noite. Acho que por isso muitas empresas não conseguem abraçar essa oportunidade, pois querem resultados overnight.
  • Quando não se preocupa com isso, uma empresa perde (em especial hoje na internet). Um exemplo bom é o caso da Dell, que teve que lidar com o site de reclamações “Dell Hell”.
  • Whuffie é parte da “economia da doação”. Quanto mais você doa, mais recebe em troca.

Algumas dicas:

  1. Mude a forma de se comunicar. Do megafone para a conversa (aprenda a escutar).
  2. Se envolva na comunidade.
  3. Foco na experiência do consumidor. Atenção aos detalhes, vá além, coloque emoção, injete alegria, personalize, experimente, simplifique.
  4. Abrace o caos. Não tente controlar tudo e se surpreenda. Algumas coisas vão dar errado, mas você poderá ter boas surpresas.
  5. Encontre significado no que você faz.
  6. Do well by doing good. Ou seja, tenha lucro por ser bom.
  7. Ajude os outros a ir além. O Flickr e Youtube têm sucesso por fazer isso.
  8. Pense focando no consumidor. Por exemplo, se for o melhor, sugira um link fora do seu site. Os slides 281 e 282 são excelentes.
  9. Valorize algo maior. Se você e sua empresa estão comprometidas com uma causa maior, terá mais capital social, mais reputação, mais credibilidade.
  10. Espalhe o amor. Faça o bem.

Whuffie = propaganda boca-a-boca, vendas adicionais, fidelidade dos clientes. Ou seja, mais lucro. :-)

Veja os slides completos, abaixo.

Livro

whuffie-factor-cover

Tara Hunt lançou há duas semanas um novo livro, chamado de Whuffie Factor. Já está no meu kindle e recomendo.

Anúncios

Read Full Post »

slideology-nancy-duarte1

O primeiro dia da Web 2.0 Expo em San Francisco era de workshops de um período (manhã ou tarde). O primeiro que participei foi o de Nancy Duarte, sobre como preparar apresentações.

Ela tem uma empresa especializada nisso, que funciona como se fosse uma agência. A diferença é que ela não faz anúncios, mas PPTs. Um dos seus trabalhos mais famosos é a apresentação do Al Gore, com o tema do filme e livro “Uma verdade inconveniente”.

foto-nancy-duarte

Quais foram as principais lições que levei para casa desse workshop:

Há 3 tipos de PPTs: documentos, teleprompters e apresentações. Os dois primeiros são feitos para quem apresenta. O terceiro para a audiência. Adivinhe qual funciona melhor?

Cada slide só pode ter uma ideia, não há problema em colocar mais slides.

De destaque ao que precisa de destaque, o restante, diminua o contraste, mostre menos. Ela mostrou ótimos exemplos de como mudar a formatação de um gráfico pode te ajudar muito a explicar um detalhe importante.

Não use gráficos em 3D. Eles só servem para atrapalhar seu cliente ver o que interessa. A não ser que você deseje esconder os dados, e não explicar direito.

Procure usar imagens. Dá um pouco de trabalho. Simples. Funciona. Se você não quer trabalho, cancele a apresentação. Mande um texto em Word, por email. Mais prático, menos chato e mais produtivo.

Re-aprenda a desenhar. Você ainda sabe, o problema é que te conveceram do contrário. Ela fez um exercício no início do curso, e meu desenho me surpreendeu (nada demais, mas ficou melhor do que eu esperava). Rabisque sua apresentação, suas ideias. Eu tenho usado papel para fazer um brainstorm sobre a palestra, geralmente em formato mapa-mental rascunho. Tem funcionado muito bem.

Uma das coisas legais do workshop foi entregar um bloquinho de post-it para cada participante. Daí você tinha que preparar um rascunho de uma apresentação sendo cada post-it um slide. A quantidade de texto legível em um post-it é a mesma de um slide. :-)

Entenda a forma e a função dos mais diversos diagramas disponíveis no PowerPoint. Cada um deles vai te ajudar a mostrar uma coisa, de um jeito. Escolher bem é meio caminho andado.

Saiba que as pessoas lêem mais rápido do que você fala. Se você lê em voz alta um texto no slide, a platéia vai ler na sua frente. E achar que você é lento. Essa explicação foi a mais simples, curta e convincente que já vi para mudar a cabeça de qualquer um a não colocar textos demais. Se você o fizer, vai parecer lerdo.

Entenda quem é sua audiência:

  • quem são eles?
  • porque estão aqui?
  • o que lhes tira o sono?
  • qual problema você pode resolver?
  • o que você deseja que eles façam?
  • o que pode faze-los resistir?
  • qual a melhor forma de convence-los?

Se você faz um exercício rápido, respondendo a essas perguntas acima, sua palestra vai ficar muito melhor. Eu já fiz isso, em duas palestras que apresentei depois desse workshop e foi incrível como me clareou a cabeça do que deveria colocar, do que tirar, como dar destaque, etc. Ficou muito melhor.

Livro

O livro é ainda mais completo. Tem um capítulo sobre cores, sobre como pensar como um designer. Coisas simples, que me ajudaram muito a entender melhor como preparar um ótimo PPT.

Na introdução, tem uma brincadeira dizendo que apresentações são histórias. E mostra como histórias são chatas por alguém que tenta colocar tudo no PPT e se esquece da história. O exemplo era um PPT da história de Chapeuzinho Vermelho.

Manifesto

Esse é um curto manifesto que finaliza o livro de Nancy Duarte.

  1. Trate sua platéia como rei
  2. Apresente para espalhar ideias e fazer as pessoas agirem
  3. Ajude a platéia a enxergar o mesmo que você está vendo
  4. Pratique design, não decoração
  5. Busque harmonia entre: você, seus slides e sua platéia

Como uma palestrante especial (como Seth Godin), ela não disponibiliza os slides da sua palestra, nem em PPT, nem em PDF. A sugestão dela foi: comprem meu livro. Foi o que eu fiz. :-)

@nancyduarte é o Twitter dela. Veja fotos no Flickr.

Read Full Post »

estrategia-conteudo

Depois de um longo período sem escrever sobre a viagem aos EUA, para participar da #w2e, inicio uma série de posts relatando as melhores palestras que assisti no evento.

Kristina Halvorson – Estratégia de conteúdo

A palestra da Kristina me surpreendeu. Entrei meio que por acaso e fui gostando cada vez mais, a cada slide. Ela falou sobre estratégia de conteúdo.

Assistindo, me lembrei que a maioria dos sites de empresas erra feio no conteúdo. Isso acontece porque quase ninguém tem o conhecimento e o método para fazer um bom conteúdo de um site e também porque é difícil fazer bem feito.

Mentiras que contamos a nós mesmos:

  • conteúdo não é “tão” importante assim
  • nós já sabemos bem o que desejamos comunicar
  • a maioria do conteúdo já está produzido
  • podemos lançar assim mesmo, depois vamos corrigindo

É incrível como já ouvi as frases acima. E só de olhar, já dá para imaginar vários sites que tiveram problemas por acreditar nos tópicos acima.

Estratégia é um plano para se chegar em um determinado objetivo. O que estratégia de conteúdo?

Planejamento para criação, publicação e gerenciamento do conteúdo. Parece simples, mas não é. Imagine que um site sempre vai ter coisa nova, e de vez em quando alguma coisa velha, que pode ser retirada. Se você deixar, vai virando um “balaio de gatos”.

Ela cita uns exemplos engraçados:

  • artigos técnicos
  • blogs de funcionários
  • um canal no youtube
  • o CEO com uma conta no Twitter

O problema não está nos itens acima (que podem ajudar muito), mas em fazer tudo isso sem um plano, sem uma linha mestra. Parece simples demais falar nisso, mas eu acho que quase nenhuma empresa faz um plano de conteúdo.

A pergunta é não é apenas “qual conteúdo?”. É preciso incluir: para quem, por quem, quando revisa, quando atualiza, etc.

Na palestra, apresentou uma definição interessante de Web 2.0.

Web 2.0 não é:

  • Facebook
  • Twitter
  • Flickr
  • YouTube
  • Wikipedia
  • Blogs de funcionários
  • Fóruns

Web 2.0 é conteúdo:

  • encontrável, pesquisável
  • fácil de encontrar, pois links te guiam
  • atualizado frequentemente e de forma fácil
  • categorizado por tags
  • facilmente divulgado por RSS, etc

Como isso funciona:

  • Produtos
  • Processos
  • Pessoas

Seu conteúdo web deve trabalhar para você, ou seja, te ajudar a chegar nos seus objetivos, mas também deve trabalhar para seu cliente. Na apresentação ela mostra um mau exemplo (Quicken) e um bom exemplo (Mint).

estrategia-conteudo-exemplo-ruim

estrategia-conteudo-bom-exemplo

Para atingir seus objetivos e dos seus clientes, é preciso ser:

  • útil
  • fácil de usar
  • agradável, interessante

Ela usou várias vezes as quatro palavras a seguir, para dar ênfase a 4 fases do trabalho de produção de conteúdo:

  1. Planeje
  2. Produza
  3. Publique
  4. Gerencie

Uma das coisas bacanas e fáceis de implementar foi uma planilha com uma listagem de todos os conteúdos de uma empresa.

Finalizando, ela tenta mostrar que o conteúdo web é (e será cada vez mais) de extrema importância para sua empresa. Precisa ser tratado como um ativo estratégico.

Recomendo assistir e refletir sobre os slides abaixo, em especial se você produz algumtipo de conteúdo para web.

Read Full Post »

calacademy

Estou nos EUA desde domingo, para participar da Web 2.0 Expo, que começou hoje. O evento está indo muito bem. Aprendi muito no primeiro dia e devo aprender ainda mais nessa quarta e quinta que vem por aí.

Tomei um tempo de anotar algumas coisas que observei nessa minha vinda aos EUA. Fazia um ano que não vinha aos Estados Unidos e quase 10 anos que não pisava na Califórnia.

Algumas de minhas primeiras observações, sobre CA e EUA:

  • Muita gente (mesmo) com smartphones, blackberry e especialmente IPhones.
  • O Costco é um hipermercado muito bom, barato e com bons produtos (não tem uma variedade enorme, mas só coisa boa).
  • As embalagens enormes ainda surpreendem (um vidro de geléia de quase 1,5 litros).
  • Visitei um museu incrível – California Academy of Sciences. Tudo muito bem cuidado, coisas interessantes, atenção total aos detalhes, boa comida. Entrada um pouco cara e (é claro) muitos e ótimos souvenirs. Foto.
  • “Go green” é uma tendência forte hoje nos EUA, em especial CA.
  • Ainda há muitos obesos.
  • A população de gays é alta por aqui, com uma convivência exemplarmente pacífica.
  • Cidade de San Francisco não tem muito trânsito.
  • Muitos carros híbridos da marca Prius (Toyota) andando nas ruas, mas acho que a CA é uma exceção. E ele não é um carro muito pequeno, como eu esperava. Algo que lembra um Ford Focus.
  • Smoothies é uma coisa que ainda não pegou no Brasil, e que tem tudo para pegar. Gostoso, saudável e fácil de consumir. As bagel, que adora, também não colaram no Brasil (essa eu acho mais difícil pegar).
  • Há produtos orgânicos em grande abundância. Carne, frutas, produtos industrializados.
  • Por causa da crise, parece que os lugares estão mais vazios.
  • Os catálogos do avião e as revistas estão mais finos, com menos anúncios.
  • O cartão de crédito é aceito em todos os lugares (menos no Costco).
  • A sensação de segurança é muito grande. Fui de trem para a convenção hoje, lendo meu kindle.
  • Vendo o mercado de trabalho aqui me lembrei do livro O Mundo é Plano. Muitos mexicanos para trabalhar, por um valor muito mais baixo e em muitos casos muito capacitados (ex.: construção). Parece que o americano ainda não entendeu as mudanças no mundo. Quebra de barreiras, globalização. Ainda é, me média, muito protecionista.
  • O americano tem fama de idiota. Muita gente acha que só tem Homer Simpsom aqui. Apesar de muitos Homers, aqui é uma terra com um número absurdo, incrível de pessoas inteligentes, criativas, trabalhadoras e empreendedoras. Por isso que surge tanta coisa legal aqui. Por isso que o país tem uma capacidade incrível de se reinventar. Dizem que há pelo menos 50 milhões de pessoas de alto nível. Muita coisa bacana em educação, cultura e inovação.
  • Como é bom ter amigos, que te recebem em casa, e te fazem sentir totalmente a vontade.

Ainda vale (e muito) vir aos EUA, pelo menos uma vez ao ano, para ver o que há de novo, para refletir, arejar a cabeça e voltar com força total para inovar no Brasil.

Read Full Post »

webexsf2009_336x280

Daqui três semanas irei participar da Web 2.0 Expo em São Francisco, na Califórnia. Faz parte do meu plano de participar pelo menos duas vezes por ano de algum evento especial.

Estou muito animado, pois acredito que aprenderei muito coisa nova, conhecerei gente interessante e inteligente. Espero voltar com muitas ideias novas e com muito gás para fazer acontecer aqui no Brasil.

Para melhorar ainda mais, fui convidado a participar como blogueiro oficial, com uma série de benefícios adicionais a entrada gratuita na feira e no seminário.

Aproveito para colocar algumas informações sobre o evento.

Se você estiver planejando participar, me avise, que devo receber ainda essa semana as informações para pessoas que desejem se inscrever (terei um código com desconto). Ainda não confirmaram, mas devo ganhar uma outra inscrição gratuita, para distribuir aqui no blog. Se rolar mesmo, já estou pensando em formas de sortear/presentear alguém com isso.

Alguns links para quem está interessado:

Blog oficial Web 2.0 Expo. No Twitter, no Facebook, no Flickr, no Blip.tv (para assistir os vídeos das palestras) e a newsletter para quem quiser assinar.

O evento Web 2.0 é realizado em NY e SF. O de março acontece em San Francisco. A página oficial é www.web2expo.com/sf. Para se registrar, acesse online registration.

Sobre a Web 2.0 Expo

Uma feira e seminário que acontece duas vezes ao ano, com foco em quem está fazendo a nova internet: programadores, designers, marketeiros, empreendedores, etc. É uma iniciativa da O’Reilly Media e TechWeb.

Update

Para se inscrever com 30% de desconto, use o código websf09trt13 ao se inscrever online.

Read Full Post »

web20-topo

Confirmado: vou a Web 2.0 Expo em San Francisco, no final desse mês. E ainda por cima vou num esquema top. Acabei de ser aceito como um “blogueiro oficial” do evento. Show de bola!

Veja algumas das palestras que verei por lá, e escreverei por aqui.

  • Tools for Visual Storytelling, por Nancy Duarte (Duarte Design)
  • Economics 2.0: Highly Effective Strategies for Putting Your Business on a Recession Diet, Dion Hinchcliffe (Hinchcliffe & Company)
  • Designing Social Websites, por Christina Wodtke (LinkedIn)
  • Why Social Media Marketing Fails – and How To Fix It, por Peter Kim (Dachis Corporation), Charlene Li (Altimeter Group), Jeremiah Owyang (Forrester Research)
  • Why Local is the new Global, por Siva Kumar (TheFind, Inc.), Scott Dunlap (NearbyNow, Inc.), Joel Toledano (Krillion, Inc.), Ethan Stock (Zvents), Greg Sterling (Sterling Market Intelligence)
  • Effective Twitter for Communication & Product Integration, por Sarah Milstein (20slides.com)
  • Beyond Buzz: On Measuring a Conversation, por Kate Niederhoffer (Dachis Co.)
  • W3C Geolocation API — Adding “Where” to Web Applications, por Ryan Sarver (Skyhook Wireless)
  • The Lean Startup: a Disciplined Approach to Imagining, Designing, and Building New Products, por Eric Ries (Lessons Learned)
  • The Open Enterprise: How Web Tools And Culture Are Remaking Business, por Stowe Boyd (The /Messengers)
  • Best Practices in Social Media Integration for Web Publishers and Content Providers, por Bob Buch (Digg)
  • Translating Online Success into Offline Retail Sales: A Jones Soda Case Study, por Angel Djambazov (Jones Soda)
  • The Whuffie Factor: The 5 Keys for Maxing Social Capital and Winning with Online Communities, por Tara Hunt (Intuit, Inc.)
  • Agency 2.0, por Curt Doolittle (Ascentium), Susan MacDermid (Real Branding)

O evento acontece de 31 de março a 3 de abril, em San Francisco, California, USA. Mais aqui.

Update 10 de março: Para se inscrever com 30% de desconto, use o código websf09trt13 ao se inscrever online.

Read Full Post »