Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘palestra’ Category

Apresentei no dia 24/08 uma palestra na Esalq-USP sobre minha experiência profissional. Foi um convite, pela terceira vez, do Prof. Paulo Machado, do departamento de zootecnia. Como nas vezes anteriores, a experiência foi muito boa, pois tenho cada vez mais certeza que “passando o que sabe, você aprende o que ensina” (Cora Coralina).

Veja os slides.

Fiz algumas anotações dos pontos principais, abaixo.

Quem sou eu

Pai, corredor, blogueiro, empreendedor, agronômo. Apreciador de cafés especiais, cervejas artesanais, bom vinho, boa gastronomia, e é claro, uma ótima carne bovina. Gosto de tecnologia, gadgets e internet. Adoro livros, em especial de negócios. Como disse um amigo numa entrevista certa vez, estou tentando descobrir quem sou eu.

Sobre a AgriPoint

Rede de comunidades online focadas em segmentos do agronegócio (carne, leite, café e ovinos/caprinos). Mais de 165 mil usuários cadastrados, crescendo 3.000/mês, de mais de 100 países. Nosso forte: conhecimento e relacionamento nesses setores que atuamos. Realizamos eventos presenciais desde 2001, com grande sucesso. Desde 2000, realizamos cursos online, com mais de 130 realizados e 12.000 inscrições.

Minha experiência na Esalq-USP

Me formei em 2001 (entrei em 1997). Minhas áreas de interesse eram pecuária de corte e economia/administração. Em 99-2000, passei um ano no Arizona, como aluno de intercâmbio, que foi uma experiência e tanto (inesquecível), que recomendo a todos, por ampliar visão de mundo, ganhar conhecimento geral, experiência com outras culturas. Saindo da palestra uma menina veio me contar que voltava de 3 semanas na China, como bolsista. Fique com uma inveja boa. O que mais aprendi na Esalq foi: relacionamento, comunicação e ser mais extrovertido.

O que venho aprendendo depois que saí da faculdade

A melhor escola é da vida, mas é a que cobra mais caro, já dizia um velho amigo do meu pai. No trabalho, no dia-a-dia é onde você aprende o que há de mais valioso. Mas geralmente esse aprendizado vem com os erros, que podem te custar caro: seu emprego, sua imagem, seus cabelos, seu sono. Mas o pior de tudo é não aprender com um erro. Como disse Jim Collins: uma crise é uma coisa muito ruim de se desperdiçar.

Ter metas e planos por escrito faz (muita) diferença. Isso era uma coisa que não acreditava muito, mas é incrível como funciona. Quem tem muito sucesso, invariavelmente tem seus planos no papel. Christian Barbosa não se cansa de dizer isso.

Procurar se conhecer mais, e trabalhar para ser aquilo que podemos ser, desenvolver nossas características únicas, em seu máximo, é muito melhor (em todos os sentidos) do que tentar copiar alguém. Isso eu aprendi na vida, na terapia e ouvindo o audiolivro Quando Nietzsche chorou.

Pense grande, pois dá o mesmo trabalho que pensar pequeno :-) O problema de pensar pequeno é que pode dar certo.

Aprenda tudo que puder sobre vendas e negociação. Por mais que você queira negar, fazemos isso todo dia, várias vezes. Esse é um tema neglicenciado na faculdade, muitas vezes até “proibido”.

Procure ter alguém como conselheiro, mentor. Uma maneira de você conversar com uma pessoa mais experiente, que pode te ajudar a fazer você chegar onde quer. Eu imagino que aqui o objetivo é sair com melhores perguntas e não com respostas.

Todo projeto depende de: planejamento, execução e também acaso. Essa eu aprendi com o Carlos Alberto Júlio. Tem gente que acha que é só planejar, que as coisas acontecem “automaticamente”. Ledo engano. Plano fraco com execução forte tem mais chances de sucesso do que o inverso. E tem gente que esquece que sempre tem o acaso, sorte ou azar, ajudando ou atrapalhando no resultado.

“Mais importante do que querer vencer, é querer treinar” Bernardinho. Todo mundo quer as glórias da vitória, mas poucos querem pagar o preço. Acordar cedo, treinar longas horas.

Aprenda e escrever artigos, posts, o que for. Quem escreve bem, pensa melhor. Tenha um blog – para pensar, para ensinar, para aprender, para conhecer novas pessoas. Contei que conheci meu amigo Eduardo Carvalho pelo blog dele.

Aprenda a falar em público, para uma pessoa, ou para mil. É uma habilidade que vai te ajudar muito.

O sucesso é proporcional a sua disposição em encarar situações que te tiram da zona de conforto.

Algumas dicas rápidas, a maioria de livros e leituras:

  • Lembrei do post do Marc Andreessen sobre contratação – energia, curiosidade e ética são fundamentais.
  • O que você tem de especial, de diferente, de notável? Uma pergunta que resume o ótimo livro Vaca Roxa, do Seth Godin.
  • O sucesso demora para chegar (quando chega). Só quem está disposto a pagar esse preço vê o outro lado do vale (livro The Dip).
  • Conhecimento, relacionamento e querer o bem dos outros são três pilares do sucesso profissional (livro Amor é a melhor estratégia).
  • Ter foco é como cuidar de uma fogueira. Se você tenta acender várias ao mesmo tempo, pode acabar com frio.
  • Conceito do porco espinho: encontre algo que saiba fazer muito bem, goste de fazer e tenha alguém querendo te pagar por isso. (livro Good to great)
  • O que é sucesso: lucro, aprendizado, satisfação do cliente e inovação – de uma conversa por telefone com Ricardo da BizRevolution (eu inclui também diversão).
  • Uma boa maneira de medir sua eficácia é se perguntar: o que entreguei/despachei hoje. Ou seja, qual foi o resultado real do meu trabalho. Outra forma é se perguntar: estou ocupado ou produtivo?
  • Não faço, nem pretendo fazer MBA. Procuro aprender e me atualizar fazendo 3 coisas: lendo, conhecendo pessoas e participando de 2 eventos curtos por ano. Vale a pena ver o site Personal MBA.No domingo anterior a palestra, li a frase “Trying to suck less daily” – melhorando apenas um pouco todo dia, podemos ser muito melhores (no blog do Loic Le Meur).
  • Marcar uma conversa, um café, com pessoas especiais, de grande sucesso, pode ser muito mais fácil do que se imagina. Basta tentar. Esteja aberto a conhecer pessoas aleatoriamente. A sorte pode te ajudar.
  • Use mapas mentais par aanotar suas ideias – é fácil, rápido e ajuda muito. Anote tudo que puder em reuniões, conversas e aulas. Anotar te ajuda a fixar agora e a se lembrar depois.
  • Ensinar é a melhor forma que conheço de aprender. Por isso fui lá fazer uma palestra.

As perguntas dos alunos, que achei muito boas. Abaixo duas:

  • Para que serve o Twitter? Não sei ao certo, mas pode servir para falar com grandes audiências e receber feedback. E eu ganho várias visitas no blog graças ao twitter. Me acompanhe aqui. :-)
  • Como gerencio meu tempo? Sugeri ler o livro GTD do David Allen e Tríade do Tempo do Christian Barbosa.

Obrigado a todos e em especial ao Prof Paulo Machado, pelo convite e oportunidade. Se você quer ver os slides no Slideshare, acesse aqui.

Trying to suck less daily.
Anúncios

Read Full Post »

Outras duas dicas, que peguei do blog do Ben Casnocha, que é excelente, como seu livro.

  1. Ao checar referências de um entrevistado para uma vaga em sua empresa, use a seguinte técnica. Ligue em um momento que você imagina que a pessoa não estará na mesa. O objetivo é deixar um recado na secretária eletrônica ou com a assistente. O resumo desse recado deve ser: “estou contratando fulano para cargo tal e ele passou seu nome como referência, por favor retorne esse contato se ele for excelente”. Achei muito bacana, você vai conseguir filtrar quem é top de quem não é, de uma forma muito simples, fácil e educada.
  2. A outra dica é dizer ao final da entrevista: “estamos chegando ao final dessa nossa entrevista, temos mais uns 5 minutos…”. Geralmente as pessoas falam as coisas mais importantes nesse finalzinho, nesse momento que está acabando. Se você ficar de ouvidos abertos pode captar bastante coisa nesses últimos cinco minutos.

Duas dicas rápidas, que gostei e vou aplicar daqui em diante. Obrigado Ben!

Read Full Post »

slideology-nancy-duarte1

O primeiro dia da Web 2.0 Expo em San Francisco era de workshops de um período (manhã ou tarde). O primeiro que participei foi o de Nancy Duarte, sobre como preparar apresentações.

Ela tem uma empresa especializada nisso, que funciona como se fosse uma agência. A diferença é que ela não faz anúncios, mas PPTs. Um dos seus trabalhos mais famosos é a apresentação do Al Gore, com o tema do filme e livro “Uma verdade inconveniente”.

foto-nancy-duarte

Quais foram as principais lições que levei para casa desse workshop:

Há 3 tipos de PPTs: documentos, teleprompters e apresentações. Os dois primeiros são feitos para quem apresenta. O terceiro para a audiência. Adivinhe qual funciona melhor?

Cada slide só pode ter uma ideia, não há problema em colocar mais slides.

De destaque ao que precisa de destaque, o restante, diminua o contraste, mostre menos. Ela mostrou ótimos exemplos de como mudar a formatação de um gráfico pode te ajudar muito a explicar um detalhe importante.

Não use gráficos em 3D. Eles só servem para atrapalhar seu cliente ver o que interessa. A não ser que você deseje esconder os dados, e não explicar direito.

Procure usar imagens. Dá um pouco de trabalho. Simples. Funciona. Se você não quer trabalho, cancele a apresentação. Mande um texto em Word, por email. Mais prático, menos chato e mais produtivo.

Re-aprenda a desenhar. Você ainda sabe, o problema é que te conveceram do contrário. Ela fez um exercício no início do curso, e meu desenho me surpreendeu (nada demais, mas ficou melhor do que eu esperava). Rabisque sua apresentação, suas ideias. Eu tenho usado papel para fazer um brainstorm sobre a palestra, geralmente em formato mapa-mental rascunho. Tem funcionado muito bem.

Uma das coisas legais do workshop foi entregar um bloquinho de post-it para cada participante. Daí você tinha que preparar um rascunho de uma apresentação sendo cada post-it um slide. A quantidade de texto legível em um post-it é a mesma de um slide. :-)

Entenda a forma e a função dos mais diversos diagramas disponíveis no PowerPoint. Cada um deles vai te ajudar a mostrar uma coisa, de um jeito. Escolher bem é meio caminho andado.

Saiba que as pessoas lêem mais rápido do que você fala. Se você lê em voz alta um texto no slide, a platéia vai ler na sua frente. E achar que você é lento. Essa explicação foi a mais simples, curta e convincente que já vi para mudar a cabeça de qualquer um a não colocar textos demais. Se você o fizer, vai parecer lerdo.

Entenda quem é sua audiência:

  • quem são eles?
  • porque estão aqui?
  • o que lhes tira o sono?
  • qual problema você pode resolver?
  • o que você deseja que eles façam?
  • o que pode faze-los resistir?
  • qual a melhor forma de convence-los?

Se você faz um exercício rápido, respondendo a essas perguntas acima, sua palestra vai ficar muito melhor. Eu já fiz isso, em duas palestras que apresentei depois desse workshop e foi incrível como me clareou a cabeça do que deveria colocar, do que tirar, como dar destaque, etc. Ficou muito melhor.

Livro

O livro é ainda mais completo. Tem um capítulo sobre cores, sobre como pensar como um designer. Coisas simples, que me ajudaram muito a entender melhor como preparar um ótimo PPT.

Na introdução, tem uma brincadeira dizendo que apresentações são histórias. E mostra como histórias são chatas por alguém que tenta colocar tudo no PPT e se esquece da história. O exemplo era um PPT da história de Chapeuzinho Vermelho.

Manifesto

Esse é um curto manifesto que finaliza o livro de Nancy Duarte.

  1. Trate sua platéia como rei
  2. Apresente para espalhar ideias e fazer as pessoas agirem
  3. Ajude a platéia a enxergar o mesmo que você está vendo
  4. Pratique design, não decoração
  5. Busque harmonia entre: você, seus slides e sua platéia

Como uma palestrante especial (como Seth Godin), ela não disponibiliza os slides da sua palestra, nem em PPT, nem em PDF. A sugestão dela foi: comprem meu livro. Foi o que eu fiz. :-)

@nancyduarte é o Twitter dela. Veja fotos no Flickr.

Read Full Post »

Como se manter atualizado nos dias de hoje, esse foi o tema da minha palestra na Arm Rebel em março, a convite do Ricardo Jordão da BizRevolution.

Eu já fiz um post resumindo o que falei por lá, acho que vale a pena ler. Daí você avalia se te interessa assistir essa sequencia de vídeos do youtube.

Read Full Post »

Assisti essa presentação de Yu-kai Chou no Google, sobre vida pessoal, trabalho, usando um tema que não me é familiar (games), mas que achei bem interessante e com pontos muito bem colocados.

O que me chamou a atenção:

  • a vida é um jogo
  • foque em suas paixões e interesses, e não apenas em habilidades
  • paixão leva a melhor trabalho, ética e diversão
  • mapeie suas competências
  • procure aprender
  • melhore suas competências que são sinérgicas, foque em poucas coisas
  • interaja com pessoas melhores (ou mais “avançadas”) que você
  • não tenha medo de se aproximar de pessoas “especiais” ou “avançadas”
  • contribua para que pessoas que ainda estão iniciando possam usufruir do que você sabe, ou seja, ajude os outros que não podem te ajudar
  • trabalhe com quem tem paixões semelhantes e competências complementares
  • complete pequenas tarefas – elas te ajudam a seguir em frente com a grande missão
  • a jornada é a recompensa

Outros detalhes:

  • gostaria de entender mais sobre o triângulo de competências
  • imagino que o slide 4 tem a ver com trabalhar com alguma coisa que você não goste :-)

Consegui aprender mesmo vendo um PPT sobre games. Abaixo o preconceito :-)

Como sempre, o material estava no Slideshare, um site que gosto mais do que o Youtube.

Read Full Post »

Na última quinta-feira, 19 de março, participei (inclusive como palestrante) do evento Epicentro organizado pelo Ricardo Jordão, da BizRevolution, com o apoio da IT Mídia. O evento foi muito bacana por uma série de motivos, mas está recebendo duras críticas (com razão) devido a uma (importante) falha. Acompanhe abaixo meus comentários sobre o evento e mande os seus também.

Palestrantes

Ricardo conseguiu reunir uma turma incrível de palestrantes. Gente de formações muito diversas, com ideias que realmente valiam a pena espalhar. Ideias que te faziam pensar. Como me disse um amigo, brincando: “Cara, fora você, só tem gente top nesse Epicentro”. Concordo com ele, com exceção do “fora você”. :)

Gente interessante, diferente e inteligente. Me vi conversando com um filósofo e um defensor do software livre ao mesmo tempo. Aprendendo, refletindo e me divertindo. Uma das coisas que mais gosto na vida é conversar com gente inteligente e o Epicentro foi um lugar especial para isso.

Entre os palestrantes, o que mais me chamou a atenção foi o Ricardo ter convidado o Grabriel Peixoto para palestrar. Peixoto é o mais ferrenho crítico do Ricardo no blog dele. Extremamente agressivo e crítico. Sempre desconstruindo os outros e construindo pouco ou nada. Pelo que conhecia dele (seus comentários no blog do Ricardo), eu nunca o convidaria para um evento.

E não é o que Peixoto surpreendeu? Fez a palestra antes da minha: ótima presença de palco, bom humor de sobra e uma mensagem bacana, de que é possível tornar a educação mais agradável e efetiva usando o marketing. Ele deu um exemplo bacana de como ensina xadrez para pessoas semi-analfabetas. Muito bacana mesmo. Foi uma mostra de que o Ricardo é mesmo um fã do ser humano.

Contatos

No Epicentro, consegui encontrar vários amigos. Consegui apresentar amigos que não se conheciam. Consegui conhecer amigos de amigos. Um papo bom, descontraído e divertido. Foi uma das coisas mais legais do evento.

Palestrar

Apresentar uma palestra no evento foi uma realização pessoal para mim. Estava um pouco ansioso. Tinha preparado com muito empenho minha palestra, sobre um tema que nunca tinha falado, muito menos em tão pouco tempo. Achei o resultado muito bom, mesmo com o passador de slides tendo pregado algumas peças em mim. Espero que essa sensação continue quando eu assistir o vídeo. :)

Vídeos

Todas as palestras foram gravadas na íntegra e serão colocadas na web. Até o formato (curto – máximo de 20 minutos) vai ajudar, pois pouca gente suporta uma palestra de 60 minutos assistindo em vídeo, no computador.

Achei essa ideia fantástica. Muitos vão falar que não é uma ideia nova, mas eu não tenho visto isso implementado em nenhum lugar aqui no Brasil. Muito bacana e vai dar vida longa a essa primeira edição do evento. Assim espero.

Expectativa pré-evento

O Epicentro foi um dos eventos divulgados com maior sucesso que já vi. Um buzz enorme na internet. Uma polarização das pessoas, uns falando mal, outros bem. Em pouco mais de um mês, o evento foi idealizado, montado, divulgado. E conseguiu mais de 1.700 incrições, presenciais e online em tempo real, somadas. Um sucesso incrível. Como disse um amigo meu no Twitter, “É, parece que esse Epicentro pegou mesmo…”, quando chegava ao local do evento.

O local do evento

O Epicentro foi realizado no escritório da IT Mídia, na Av. Berrini em São Paulo. O lugar tinha uma vista incrível, mas era pequeno demais para o tamanho do evento. O auditório era uma sala de aulas, com umas 50 cadeiras. Impossível comportar a turma que se inscreveu para o evento. Quem assistia pela web também reclamou que o sistema baleiou inúmeras vezes.

Muita gente inscrita não conseguiu entrar. Muita gente inscrita conseguiu entrar no local, mas não na sala. Quem ouvia pela internet teve muitos problemas. Isso gerou uma frustração, justa, em muita gente. E isso terá um preço para os organizadores.

Próximo Epicentro

O Epicentro 2 já tem data marcada, 8 de outubro. Provavelmente será um sucesso. As falhas do primeiro serão um dificultador a mais para realizar o próximo. Os erros podem ser corrigidos.

Torço muito pelo Ricardo. O Epicentro 1 superou todas as expectativas em todos os sentidos. E teve uma falha apenas – a infra-estrutura do evento (presencial e online) foram dimensionadas com um erro grande. Mesmo assim, torço muito pelo Ricardo. Ele faz um trabalho bacana, de difusão de conhecimento, de mostrar as coisas boas que estão acontecendo no Brasil. É um cara que me ajuda, só de conversar comigo. É um cara que quer realizar muito, e mesmo errando, não desiste, não fraqueja.

Para mim, o Epicentro 1 foi um aprendizado, um lembrete de que não adianta fazer tudo certo e errar no básico. Foi também uma inspiração para organizar mais eventos, para mostrar o que há de bom sendo feito no Brasil. Mãos a obra.

Read Full Post »

Publico aqui os slides da minha palestra de ontem do Epicentro (#Epicentro no Twitter). Vou escrever mais sobre o evento, que foi muito bom, mas teve uma falha básica. No final, o saldo foi mais do que positivo, em aprendizado e contato com pessoas inteligentes e interessantes.

Read Full Post »

Older Posts »